As PMEs e as viagens corporativas

As PMEs e as viagens corporativas

Prever com exatidão como será a gestão de viagens corporativas dentro de dez anos é uma tarefa praticamente impossível, porém um pequeno vislumbre dos responsáveis por conduzir estas mudanças já é possível: as pequenas e médias empresas, ou PMEs.

Sem paciência para aturar soluções desajeitadas e inflexíveis de viagem, estas empresas começarão a agir dentro de pouco tempo, ao perceberem que existem soluções mais modernas e econômicas no mercado.

Tendências de viagens de negócio

Um estudo comprova que os administradores de viagens dentro das PMEs possuem 60% mais capacidade de mudar suas políticas de viagens em comparação às grandes companhias; 50% mais propensão a oferecer flexibilidade aos viajantes quando há a reserva; e 22% mais abertas a aumentar seu leque de investimentos em ferramentas de viagens corporativas nos próximos dois anos.

Um exemplo disso ocorreu recentemente, quando a empresa Lola.com entrevistou mais de 1,5 mil responsáveis pela gestão de viagens corporativas de suas empresas, entre elas, pequenas, médias e grandes.

O resultado? PMEs já se mostram prontas para repensar as viagens corporativas.

Alguma ideia de como essa transformação vai se desenrolar? Sim!

Funcionários produtivos e eficazes são peça chave para o sucesso das pequenas e médias empresas, por isso, as preferências dos viajantes estão sendo cada vez mais levadas em consideração, ou seja, detalhes importantes como hotéis mais bem localizados e voos diretos, muitas vezes impossíveis de serem rearranjados quando se tratam de grandes empresas, são exemplos de investimentos que entraram na mira das PMEs.

Tecnologias em gestão de viagens

Outro aspecto importante a ser observado, além das diretrizes mais flexíveis, é a adoção das tecnologias certas. O tempo é um fator de extrema importância para as PMEs e elas sabem que medidas para manter seus funcionários devidamente produtivos enquanto estão na estrada precisam ser tomadas, portanto, fornecer tecnologias que auxiliem nessa jornada são indispensáveis.

Apesar disso também ser verdade para funcionários de grandes empresas, o conjunto de soluções para este problema inclui um gestor de viagens dedicado, ou uma agência de viagens corporativas terceirizada, por exemplo.

Por não poderem investir em gestores de viagens, grande parte das PMEs descobriram que podem obter o mesmo nível de suporte com um software cuja função é conectá-las com especialistas em viagens.

Essas plataformas costumam ser intuitivas, por isso, o gerenciamento e reserva, além do controle de despesas, passam a ser mais facilmente dominados.

Ferramentas intuitivas e otimizadas para diversos dispositivos são desenvolvidas a todo o momento para o consumidor. Nas empresas, tais ferramentas precisam apresentar as mesmas facilidades a fim de otimizar sua utilização.

Devido à sua necessidade de estar sempre buscando por soluções rápidas e econômicas, as PMEs, com seus menores obstáculos organizacionais, em comparação às grandes corporações, lideram a revolução da gestação de viagens corporativas.

Fonte: Karina Cedeño, Panrotas, 17/04/2019.